sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Anya: Não olhe pra trás



Vazio
O vazio ainda pulsa...
Tento expulsar de mim as palavras
Porém sem sucesso.
Isso que vivo, não e vida
É um imenso e grande
.
.
.
.
.
.
.
.
.......................... Vazio.

                              Anya



Ei, o que ta fazendo ai? Vem cá deixa eu te dar um abraço, feliz aniversário! Apenas uma amiga nem tão intima assim, celebrou.
Anya recebera o abraço desajeitado ao mesmo tempo em que fechava seu caderninho de anotações.
Vazio, era assim que ela sentia atualmente.
Desde aquele último episódio com Juan muita coisa mudara externa e internamente para Anya.
Aquela carga de adrenalina, risos, susto, fez com que ela tomasse um choque de realidade quanto a sua situação.
Durante esse longo tempo Anya apesar de ter em sua concepção formada de que não queria ser amante de Juan, nem de homem algum, pouco a pouco foi se deixando envolver pelas inúmeras armadilhas de sedução que lhe foram proporcionadas.

Sabe quando você idealiza algo na sua cabeça, o imagina perfeito e quando finalmente vive, descobre o quanto é criativa além da conta, e o encanto acaba?  - Comentou Anya com sua amiga Andréa.

Sei sim Anya, muito mais do que você imagina. Não sei a quem está se referindo mais aposto que é o responsável por esse poema tão triste.
Anya gostava de escrever. Sendo muito tímida as palavras acabam por ser a melhor maneira de desabafar além é claro da vergonha que sentia em se abrir com alguém em relação a Juan. O silencio, a indiferença dele a estava sufocando.

Todos os dias era a mesma coisa:

Despertava já a procura do celular na esperança de receber um bom dia que nunca chegava;
Só era correspondida caso tomasse a iniciativa de cumprimentar primeiro;
Prometia a si mesma que jamais falaria com ele se ele não falasse com ela primeiro;

Dica do dia: só prometa aquilo que realmente conseguirá cumprir.
Vocês já perceberam o quanto somos vítimas da pressa? Não? Eu garanto que você já enviou várias mensagens para várias pessoas, várias vezes algo ou alguma coisa. Nós temos essa mesma necessidade quando amamos alguém e talvez por medo de que aquilo que fazemos não nos baste, talvez não baste mais para o outro temos pressa em avisar o que estamos vivendo, que esquecemos de ver o que estamos vivendo exatamente.
Você envia uma mensagem pelo celular se a pessoa não responde após um minuto, já trabalhamos com inúmeras possibilidades como a de um AVC, um infarto fulminante, parada respiratória, ficamos nervosíssimas pensando, meu Deus ele já visualizou e não respondeu, porque? Nós sempre estamos exigindo essa pressa dos outros ou alguma coisa está errada.
Ao ver aquele silencio interminável me derramava em mimos, emojis fofos e românticos na espera desesperada de receber o mesmo em troca, coisa que quase nunca acontecia estragando completamente meu dia sem sequer conseguir perceber o quanto já estava completamente cansada disso.

Juan estava a cada dia mais distante, frio, indiferente depois de ganhar o coração de Anya, de repente a conquista perdera a graça afinal já conseguira o prêmio que tanto queria. A tivera finalmente por inteiro e por tantas vezes que perdera a conta. Anya apesar de toda timidez, ingenuidade e falta de experiência vinha se mostrando a cada dia uma amante excepcional, ele nunca havia se envolvido com uma mulher de tamanha intensidade, de uma coisa Juan tinha certeza a amaria para sempre.  Não que esse sentimento representasse algum peso em sua vida, gosta de ser livre, independente, ir e vir, fazer aquilo que quiser. Nunca foi dado a amores por ninguém, nem mesmo pela mulher que lhe dera um teto, uma estrutura, uma família essa na qual ele suportava a duras penas até conseguir se equilibrar e ai finalmente seria feliz, pensava ele. Não ele não pretendia ficar com nenhuma das duas isso era fato, ele amava Anya sim era um amor puro, coisa de criança diferente de agora que se tornara um homem não iria perder tempo com essas coisas de "amor".
Precisava dar um basta naquela situação porém não conseguia expressar nada mais além do que indiferença total aos sentimentos dela exceto quando seu músculo inferior latejava ao pensar nela, não resistia e se rendia novamente aos seus encantos, será que isso nunca terá fim?



Acordei inexplicavelmente feliz o inverso da noite passada onde a sensação de vazio me preenchia por completo. Escrever me faz bem. Ao fazer essa reação química entre lápis, caneta e papel, sim pois é muito melhor escrever primeiramente de lápis, se errar poderá simplesmente apagar e começar tudo outra vez - Fica a dica. Quando coloco meus sentimentos no papel, dar-se início a um processo libertador dentro de mim é como se eu estivesse transferindo toda aquela antítese para o poema, prosa, conto ou seja lá como se chame aquilo no qual estou escrevendo. Isso me renova me fortalece. E sabe a dica sobre o lápis e a borracha? No aniversário de Juan, fiz a maior festa virtual que alguém poderia fazer, com direito a um livro sobre a nossa trajetória, vídeos, fotos onde mostrei tudo que havia preparado para comemorar esse momento e é claro abrir o meu coração novamente com toda intensidade, alegria e ingenuidade de sempre - como fui tola.

Juan leu tudo (na verdade acredito piamente que ele fingiu ler), sabe quando você ler algo apenas no início e no fim só para não ser pego se contradizendo?

Obrigado, sem palavras - escreveu Juan, tão frio quanto o inverno do Alasca.

E naquele momento creio que tive a maior de todas as decepções da minha vida. Joguei o piquenique que havia preparado com tanto amor no lixo, ficando apenas com o vestido novo, maquiagem e cabelo que havia preparado para ocasião. Recebi vários elogios e até uma nem tão amiga assim, me parabenizou, afinal também era o meu aniversário até nisso a sorte me foi infeliz. Em quanto escrevia vi o quanto a borracha e o lápis eram importantes e comecei a me questionar porque não fazer esse papel na vida. Ser um lápis onde desenhamos a nossa história cheia de planos, amor, projetos porém ter a sagacidade da borracha em apagar tudo aquilo no qual erramos ou simplesmente porque nos demos conta de que aquilo não é o que queremos e após a limpeza começar tudo outra vez?

Juan nem viu o que o atropelou:

Águas Passadas
De que é feito o amor?
Dizem que o amor é paz
Que o amor tudo suporta
Tudo perdoa, tudo crer
O amor para ser amor
Tem que ser “perfeito”.


E crendo nisso, nos atiramos
Num abismo sem fim
Fazendo com que as vezes
A decepção seja tão quão!

Nunca estivemos tão errados.

O amor é sim um misto de paz
É como o brilho do sol da manhã
Nos aquecendo o coração.
Tudo crer, tudo suporta
Mesmo a despedida, a distância.
Somos capazes de colocar
O nosso amor de lado
Se julgarmos não ser o suficiente
Não ser merecedor daquele
No qual tanto admiramos.

O amor não precisa
De cultivo alheio ou presença
É autossuficiente e se mantém
A cada dia mais amante
Vibrando com pequenos gestos
Um olhar, um sorriso
Um, “é bom te ver por aqui”

Ele é altruísta
Fazendo com que abramos mão
Daquilo que nos é tão valioso
Se não estamos fazendo-o feliz.

E em paz ficamos onde estamos
Num misto de antítese
Somos o motivo do que vai adiante
E sem mais, optamos por ficar distante
Já que tudo aquilo que seguramos com muita força
Acabamos perdendo se não é amor.

Muitos optam por viver com o outro
Mesmo estando incompleto
Mesmo não tendo nada a dar
Apenas por medo da solidão.

Muitos escolhem a solidão
Por medo de uma “prisão”
Na qual existe em nada mais além
Do que em nossas mentes.

Mais uma coisa lhes digo:
Antes que esse século se finde
Que meu tempo na terra se vá
Conhecerei o amor de verdade

Onde as pessoas evoluíram
Ao ponto de entender
Que nem tudo é como você quer
Nem tudo pode ser perfeito
Que podemos ver o mundo de outro jeito
E ao fazermos isso, tudo fica mais fácil

Compreenderão que o que é errado ficou certo
O que é certo ficou errado
Que cada um só dá aquilo que possui para dar
Que o ser humano pode ser alguém especial
Começando por você
Quantas sementes você plantou hoje?

Entenderemos que se não faz sentido
Discordamos com isso e não é nada demais!
O que vale é deixarmos águas passadas
Pegarmos uma nova estrada e não olharmos para trás
Como sempre o amor
Está mais do seu lado que você
Siga em frente, linha reta
Não procure o que perdeu
O que você "acha" que algum dia, foi seu
Reveja seus conceitos.

                                          Aquela que um dia já foi sua, Anya.




Continua….



Gostou?
Confira como tudo começou: https://vocenaopodedeixardeler.blogspot.com.br/search?q=Anya

Confira a trilha sonora: https://www.wattpad.com/484531360-conto-anya-n%C3%A3o-olhe-pra-tr%C3%A1s