sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Poesia: Para te encontrar




Aí meu Deus!
Devo está louca em te dizer as coisas nas quais estou prestes a lhe dizer,
 Afinal foi só uma vez.......uma única e bendita vez e nada mais!
Mais…nossa, que vez!
No fundo sei que tudo não gira em torno de apenas um breve espaço de tempo
Sei que no fundo há muito mais que isso dentro de mim
Quanto tempo faz? 
Ou talvez nem tanto assim....
Você chegou tímido, arteiro, divertido, criativo, carinhoso, amigo.
Eu reservada, trancada, cismada, dez esperançosa, ferida
Sim. Ferida, essa é a palavra certa
Ferida com a vida, pessoas, sentimentos, expressões, coisas
Ferida até mesmo comigo mesma
Mais você não desistiu....
Com bastante calma, sapiência e principalmente muita diversão e vontade de viver a vida
Você foi conquistando o seu espaço de amigo, companheiro, confidente e confessor
E no fim você se tornou apenas uma eterna e maravilhosa lembrança
Lembrança de várias postagens divertidas, as vezes excitante, outras inocentes,
Particularidades de nós dois, unicidades de inúmeras boas e velhas madrugadas
Porém não posso também me esquecer da saudade, crua, fria cruel que teima em me torturar
Mais que desaparece no exato minuto em que olho ouse o celular tocar e é você
Sinto meu coração se encher como um sol preenche todas as manhãs e
E assim vou seguindo esperando, pensando....
Fechando os olhos e me transportando até te reencontrar.




Considerações Finais:


“Baseado nas mais diversos depoimentos sobre lindas histórias de amor em meio as madrugadas que ocorrem nos What Zap da vida e através das velhas e boas cartas de amor.”




Autoria: Lindaiá Campos